sexta-feira, 6 de fevereiro de 2015

CORRER É ACESSÍVEL, SÓ NÃO ENXERGA QUEM NÃO QUER

Matéria veiculada em meu blog no Jornal Corrida:




Correr é acessível, só não enxerga quem não quer

PORTADOR DE uma deficiência visual, decorrente dos problemas causados pelo glaucoma e catarata, o aposentado CARLITO FÉLIX DOS SANTOS é um corredor invejável. Aos 73 de idade, Carlito corre de segunda a sábado em média 10 km por dia, num total de aproximadamente 60 km semanais, aproveitando as ótimas condições da pista com piso tátil, que facilita seus treinos.

Morador do pequeno município de Salinas da Margarida, encravado na Bahia de Todos os Santos, ao sul do Recôncavo baiano, Carlito é conhecido em toda a cidade como o corredor solitário que serve de exemplo para todos que o conhece, pois também não aparenta a idade biológica que tem.
Como nunca perco oportunidade de me aproximar de um corredor que me chama a atenção, conheci Carlito quando treinava na bela pista da sua cidade e de imediato passei a lhe fazer companhia.

Estando passando alguns dias de férias com a família na encantadora praia de Barra do Paraguaçu, diariamente ia fazer meus treinos em Salinas, mesmo tendo que enfrentar os 18 km, ida e volta, em estrada de terra, fiel ao meu lema – Férias, não tem descanso não!


Sabemos que um dos grandes problemas de quem faz atividades físicas, sobretudo corrida, é pensar que pode “tirar férias”. Não pode. Nesses seis anos que estou praticando essa modalidade, vi dezenas de pessoas desistirem, justamente por interromper os treinos, por isso eu não me arrisco.

A história de Carlito é simples, mas interessante. Começou a correr aos 53 anos de idade e não sabe bem a razão. O fato é que, não consegue mais viver sem a corrida, mesmo com as limitações que a quase cegueira lhe impõe.  Sua vida é espartana, de causar admiração pela regularidade de suas ações, o que dá um resultado excelente quando se trata de benefícios para a saúde. Sua alimentação é frugal. Antes dos treinos se limita a uma xícara de café com leite e um pedaço de pão francês. O almoço é composto quase sempre de feijão, arroz, farinha,FRANGOhttp://cdncache1-a.akamaihd.net/items/it/img/arrow-10x10.png e frutos do mar. Raramente come carne vermelha. Seu jantar é antes das 18 horas, geralmente só de café com pão. Costuma “dormir e acordar com as galinhas”. Este é o corredor Carlito Félix dos Santos, homem simples, deficiente visual, 73 anos, 1,69 m, 72 kg, que leva uma vida feliz e de fazer inveja.
ab_amancio_homeJosé Amâncio Neto - Bancário aposentado de Salvador (BA), começou a correr em 2009 para manter a saúde e fazer novos amigos. Além deste blog, é autor do blog Corredor da Terceira Idade. Fale com o José Amâncio:TWITTER ou FACEBOOK


Leia outros textos do blog do Correr não tem idade

Nenhum comentário:

Postar um comentário